Web Blog: Diário de Uma Adolescente – Parte 6

[…]

            Cheguei em casa da escola, almocei, tomei banho e subi para o meu quarto. Sentei na minha cama e comecei a pensar como a minha vida pode ter mudando tanto em menos de uma semana. Semana passada, eu era a “estranha sem amigos”. E essa semana eu já me transformei na “menina estranha amiga do menino popular da escola”. De certa forma isso era engraçado, com em tão pouco tempo eu poderia ter virado tão amiga do Guilherme, e descobrir um lado dele que eu não conhecia, um lado amigo, sincero, divertido e principalmente caridoso. Totalmente diferente do Guilherme metido e popular que eu achava que conhecia.

            Revendo essa semana, pude ver que mesmo sem querer acabei mostrando um pouco da Gabi divertida e engraçada que até então só minha mãe conhecia. Acho que ele também se surpreendeu comigo. Fiquei um bom tempo perdida nos meus pensamentos que quando me dei por conta já estava na hora de dormir. Afinal, o dia começa cedo amanhã.

POV Guilherme

            Cheguei exausto em casa, hoje. A briga com a Catarina no colégio mais cedo, acabou comigo. Não que eu fiquei triste por a gente ter brigado, mais a gente estava junto a 2 anos quase, de certa forma isso me afetou um pouco. Resolvi ir tomar um banho pra relaxar e pensar um pouco. Quando sai do banho tinha uma mensagem da Catarina no meu celular.

“amor, sei que errei. Fui uma grossa e pesei na dose do ciúme, me desculpa. É que eu fiquei muito nervosa vendo aquela menina se oferecendo pra você na cara dura. Tenho medo de te perder, e não quero dormir brigada com você. Me liga, te amo.”

 

            Li a mensagem, mais não liguei pra ela. Achei melhor a gente conversar pessoalmente amanhã. Mais não vou negar que dormi pensando naquela mensagem e se eu queria mesmo acabar com tudo.

Capitulo 5

 

Algumas semanas depois… – Sexta-feira 8:00 a.m

            A semana passou voando. E já é sexta-feira, estou na escola mais meu pensamento está no passeio na reserva municipal que eu vou amanhã com as crianças do orfanato. Depois daquele fim de semana do castigo, tenho ido algumas vezes lá – estou gostando de passar os fins de semana com as crianças orfãns. Elas são tão amáveis –. O diretor de lá gostou de mim e pediu para o Guilherme me convidar pra ir. Falando nele, faz algumas semanas que eu não falo com ele. Ele tá muito estranho passa por mim e mal fala comigo, ah, sem contar que ele e a Catarina voltaram. Mais eu não ligo se ele se afastou de mim isso era de se esperar. Afinal, nunca isso ia dar certo mesmo, o garoto mais popular da escola amigo da menina estranha? Não, isso não ia durar muito nunca.

[…]

Sábado 9:00 a.m

            Já estou quase chegando no orfanado e pra variar estou atrasada. Quando cheguei já estavam todos lá, procurei o diretor e perguntei em qual ônibus eu iria. Ele disse que eu iria no ônibus junto com o Guilherme, o que seria uma boa ideia se a gente estivesse se comunicando ainda. Então, entrei no ônibus o mais rápido possível, afinal estava atrasada né?! Peguei e sentei no banco mais distante do Guilherme possível, não queria me estressar e nem estragar o passeio das crianças.

            Sentei, peguei meu celular e entrei no twitter – meu vicio eterno -.

“Indo para a reserva municipal com as crianças do orfanato *u*”

“Nunca pensei que diria isso, mais estou gostando desse trabalho voluntario”

“Logico se eu não tivesse que olhar pra cara de certas pessoas, tornaria o passeio mais agradável”

“Vou sair, cambio desligo.”

 

            Sai do twitter, coloquei meus fones de ouvido com The Maine tocando num volume um pouco alto e dormi durante o caminho inteiro praticamente. Quando chegamos, desci do ônibus e nos fomos divididos em equipes com dois monitores cada. E pra minha infelicidade – ou sorte não sei – eu seria monitora da equipe junto com o Guilherme. Que ótimo não?! – não diga que sim -.

POV Guilherme

            Cheguei um pouco cedo hoje no orfanado. Hoje nos vamos à reserva municipal, o que vai ser muito bom para as crianças já que não é sempre que elas podem passar um dia inteiro sem se perguntar por que estão ali. Quando estávamos quase indo vi a Gabi chegar, o diretor tinha pedido pra eu chama-la. Ela chegou entrou no ônibus e fingiu que nem tinha me visto ali, acho que ela está chateada comigo, também quem poderá, pisei na bola feio com ela. Depois que voltei com a Catarina, me afastei um pouco da Gabi não de proposito mais involuntariamente, acho que por medo de criar mais confusão com a Catarina.

            Quando chegamos na reserva fomos divididos em grupos e cada grupo teria dois guias. E se você pensou que eu e a Gabi ficamos na mesma equipe pensou certo. Destino engraçado esse né? Vive pregando peças na gente. Caminhamos um pouco pela trilha de cascalho até chegar num lugar descampado, onde paramos para as crianças comerem seus lanches. Por enquanto que a Gabi ajudava as crianças com seus lanches, eu fiquei observando ela, e pude perceber o quanto ela estava bonita com aquela calça apertada, tênis para caminhada e com os seus cabelos presos num rabo de cavalo alto – o que era raro já que ela só vivia de cabelos soltos – isso facilitou para ver os contornos do seu rosto que eram quase angelicais. Depois de ajudar as crianças ela sentou num canto mais isolado, como de costume e começou a ler. Percebi que aquela era a hora certa para me aproximar e pedir desculpas a ela.

– Oi Gabi. – disse um pouco tímido, ao me aproximar.

            Ela olhou para mim e voltou a ler seu livro.

– Não vai falar comigo Gabriela?

– Agora você quer falar comigo? – ela disse fechando o livro. – Você passa semanas sem olhar na minha cara e ainda quer que eu finja que nada aconteceu e fale com você? Pensei que a gente éramos amigos, mais percebi o contrario. Sabia que não devia confiar num menino mimado e idiota igual a você. – ela disse se levantando irritada.

– Espera Gabi – Disse segurando ela pelo braço – Me desculpa, sei que fui um idiota.

– Me solta que você ta me machucando seu idiota.

            Olhei nos olhos dela e me deu uma vontade incontrolável de beija-la ela estava tão linda, tão perto de mim, tão ao meu alcance. Não pensei duas vezes a beijei. Foi um beijo doce e ao mesmo tempo feroz. A primeiro momento ela resistiu mais logo depois se entregou. Quando a gente se soltou ela olhou pra mim com uma cara não muito agradável.

– Idiota. – ela disse irritada me dando um tapa na cara logo em seguida e saiu andando batendo o pé.

            O tapa dela ardeu, mais eu ainda estava anestesiado pelo beijo, então pode se disser que nem senti o tapa.

POV Gabriela

            Não acredito que o Guilherme me beijou. Quem ele pensa que é? Que é só vim me pedindo desculpas que vai ficar tudo bem? E ainda por cima me beijou, não que o beijo foi ruim, pelo contrario. Mais não era pra ter acontecido. Droga! Quero ir embora desse lugar, quero voltar para o meu mundo inútil e secreto. Quero apagar esse mês da minha vida.

            Meus pensamentos odiosos foram interrompidos pelos gritos do diretor pedindo pra gente juntar as crianças de cada equipe e continuar a trilha até o alto da montanha. A caminhada ia ser longa principalmente pelo fato de que eu teria que olhar na cara do Guilherme inúmeras vezes durante esse longo e interminável dia.

{…}

——————————————————————————————————————————————————————————————–

Postei bastante hoje em amouras, então vamos fazer um combinado, ok?! Se vocês comentarem bastante no post, “upando” e dizendo o que vocês estão achando da web, prometo um post ( fod*) essa semana ainda! Divulguem também, haha’ (;

Anúncios
Esse post foi publicado em Web Blog e marcado , por Liz Santos. Guardar link permanente.

Sobre Liz Santos

Liz Santos, 16 anos, libriana, nascida em campinas –sp . Apaixonada por laços, caveiras, fotografias, livros, moda, skate, livros, chocolates, balas e cupcake. Um projeto de escritora, amo escrever – mesmo que as vezes só saiam besteiras -, futura jornalista e com uma mania super incontrolável de hipérboles. ADORO desenhos animados - em especial Os Simpsons e Bob Esponja -. Louca pela Avril Lavigne e os meninos do ATL *u*. Meu livro preferido desde o mês passado é A Ultima Música. Ficar horas na internet é meu hobby - seguido logo depois de dormir e comer -. Gosto de músicas dançantes e coisas que me façam rir. Valorizo cada pequeno detalhe da vida. Adoro pandas - meu sonho é encontrar um panda anão pra trazer pra casa*u* - e series como Two and a Half Man e Gossip Girl. Criei o Sonhos de Uma Manhã, no dia 5 de setembro de 2012, como uma distração pra ocupar minhas horas vagas e para poder dividir minhas histórias, dicas e meu amor por moda e escrever . Eu sempre tive vontade de ter um blog, e de um tempo pra cá essa vontade aumentou, mas eu tinha medo de não dar certo e blábláblá. Ai, tomei vergonha na cara e criei coragem pra por esse sonho em prática. Adoro postar todos os dias aqui e tenho minhas leitoras como amigas, que me fazem um bem danado quando eu entro aqui todos os dias e vejo quanta gente, de tantos lugares diferentes até mesmo do mundo lêem diariamente o que eu escrevo. E sinceramente? Isso é muito gratificante. E se tem uma coisa que eu me arrependo até hoje é de não ter criado esse blog antes.

Deixe Seu Comentário Sobre o Post... (:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s