Web Blog: Diário de Uma Adolescente – Parte 8

Capitulo 7

Domingo 8:30 a.m

            Passei a noite pensando no dia de ontem. Pensei em tudo, no beijo, nas rosas, no cartão e se queria mesmo perdoar o Guilherme. Se eu dormi 2 horas dormi muito.

            Levantei fiz minha higiene, vesti uma roupa qualquer e desci para tomar café. Meus pais estavam à mesa tomando café.

– Bom dia mãe – disse dando um beijo em sua bochecha. – Bom dia pai – disse ao sentar a mesa junto com eles.

– Bom dia Gabriela – respondeu meu pai, frio e seco como sempre.

– Bom dia filha – minha mãe disse me dando um beijo na testa.

– Vou tomar só um copo de suco e vou caminhar tá? – expliquei

– Só um suco Gabi? Isso não enche barriga de ninguém. – argumentou minha mãe.

– Não estou com muita fome mãe. Quando eu voltar eu como – disse levantando da cadeira e dando um beijo em sua testa.

– Gabriela quando você chegar quero conversar sobre o ocorrido algumas semanas atrás viu. Eu não esqueci. – meu pai disse sério.

– Sim senhor pai. – disse me retirando da sala.

            Quando estava quase saindo pude ouvir meu pai reclamando de mim para minha mãe.

– A Gabriela é rebelde Sonia. Só faz o que quer, você educou essa menina muito errado. Eu disse que devemos coloca-la num colégio mais rígido. Mais não você preferiu coloca-la no colégio do seu irmão.

– Por favor, né Augusto. A Gabriela é uma ótima filha, apesar dessas indisciplinas dela na escola. E você só não sabe disso porque age como se ela fosse eterna ré no seu tribunal.

            Meu pai nunca me entenderia mesmo. Ainda bem que eu tenho minha mãe para de defender. Depois de escutar essa pequena discussão dos dois, sai de casa com um destino certo na cabeça. Eu iria até o campinho que o Guilherme costuma jogar futebol com os amigos. Pra gente poder conversar e esclarecer todos os maus entendidos entre a gente.

            Quando cheguei lá estava ele com o uniforme do time comemorando com os companheiros o gol que acabara de fazer. Fui até a arquibancada e sentei num lugar mais reservado – vocês já devem ter percebido que eu adoro ficar sozinha né?! -. Fiquei lá até o jogo acabar, quando boa parte das pessoas que estavam ali foram embora eu me aproximei da onde o Guilherme estava e fui falar com ele.

– Oi. – disse me sentando do lado dele no banco.

– Gabi? – ele disse surpreso ao me ver ali.

– Obrigada pelas rosas. – falei simpática – Li seu cartão.

– De nada. Sério o que achou?

– Acho que a gente precisa realmente conversar. – o silencio reinou por um tempo, mais logo continuei – Pode começar.

– Bom Gabi tudo o que eu tinha pra te disser eu escrevi naquele cartão. Quero muito voltar a seu amigo e que você me perdoe.

– Sabe Guilherme. Eu estava muito bem sozinha, sem amigos e odiando todos naquela escola. Mais ai você enfiou na sua cabeça que ia querer ser meu amigo. E eu acreditei nisso, não sei por que mais acreditei. Acreditei que o popularsinho da escola ia querer ser amigo da estranha sem amigos. Mais ai quando eu abro meu coração pra você, deixo você conhecer a Gabi que até então só minha mãe conhecia, e o que você fez? Bom, você me abandonou.

– Gabi me desculpa, eu reconheço que fui um idiota. – implorou.

– Vou te confessar uma coisa Guilherme. – continuei – Eu não sei lidar com percas. Não sirvo pra essas coisas. Por isso vivo afastada das pessoas. Sempre tive medo de me aproximar de alguém e essa pessoa me abandonar depois. E olha só o que aconteceu quando eu abri uma exceção. Na primeira oportunidade que você teve eu fiquei sozinha de novo.

– Eu não sabia disso Gabi, me desculpa poxa. Prometo que não te abandono nunca mais. – ele disse com remorso.

– Eu te desculpo Guilherme. A culpa não é sua, afinal quem não sabe lidar com percas sou eu.

– Obrigado Gabi – ele disse me abraçando – Não vou te decepcionar.

– Mais nós não vamos voltar a ser amigos Guilherme. – disse me desprendendo do abraço.

– Por que Gabi? – ele disse desapontado.

– Porque sim Guilherme. É melhor.

– Gabi será que você não intende que a sua amizade se tornou muito importante pra mim? Sinto falta das nossas conversas.

– Vai ser melhor assim Guilherme. Pra nós dois. – disse me levantando – Tchau, já vou.

– Tudo bem, se é assim que você quer não vou insistir. Mais se mudar de ideia, saiba que eu ainda quero ser seu amigo.

– Tá – disse tentando demonstrar indiferença ao ir embora.

            Não sei o que me deu mais durante o caminho foi me dando um aperto no peito, uma vontade de chorar. Será que depois eu vou me arrepender de não ter voltado a ser amiga do Guilherme? Ou será que foi melhor assim? Porque a gente nunca vai entender as peças que o destino nos prega? Porque as coisas tem que ser tão difíceis assim? Será que é verdade o que dizem? Que nada é difícil que é a gente que complica?

            Fui fazendo perguntas a mim mesma até chegar em casa. Cheguei não falei com ninguém subi para o meu quarto e comecei a me acabar em lagrimas, todas as lagrimas que eu guardei durante a conversa com o Guilherme e durante o caminho. “Isso foi à coisa certa a fazer.” era o que eu repetia pra mim mesma, na tentativa de me convencer que isso realmente foi o certo a fazer.

——————————————————————————————————————–

Por hoje é isso amoures, espero que estejam gostando dos últimos e emocionantes capítulos da web haha. E obrigado por todos os votos lindos, pedindo mais web blog õ/ Continuem votando e dando a opinião de vocês. (;

Anúncios
Esse post foi publicado em Web Blog e marcado , por Liz Santos. Guardar link permanente.

Sobre Liz Santos

Liz Santos, 16 anos, libriana, nascida em campinas –sp . Apaixonada por laços, caveiras, fotografias, livros, moda, skate, livros, chocolates, balas e cupcake. Um projeto de escritora, amo escrever – mesmo que as vezes só saiam besteiras -, futura jornalista e com uma mania super incontrolável de hipérboles. ADORO desenhos animados - em especial Os Simpsons e Bob Esponja -. Louca pela Avril Lavigne e os meninos do ATL *u*. Meu livro preferido desde o mês passado é A Ultima Música. Ficar horas na internet é meu hobby - seguido logo depois de dormir e comer -. Gosto de músicas dançantes e coisas que me façam rir. Valorizo cada pequeno detalhe da vida. Adoro pandas - meu sonho é encontrar um panda anão pra trazer pra casa*u* - e series como Two and a Half Man e Gossip Girl. Criei o Sonhos de Uma Manhã, no dia 5 de setembro de 2012, como uma distração pra ocupar minhas horas vagas e para poder dividir minhas histórias, dicas e meu amor por moda e escrever . Eu sempre tive vontade de ter um blog, e de um tempo pra cá essa vontade aumentou, mas eu tinha medo de não dar certo e blábláblá. Ai, tomei vergonha na cara e criei coragem pra por esse sonho em prática. Adoro postar todos os dias aqui e tenho minhas leitoras como amigas, que me fazem um bem danado quando eu entro aqui todos os dias e vejo quanta gente, de tantos lugares diferentes até mesmo do mundo lêem diariamente o que eu escrevo. E sinceramente? Isso é muito gratificante. E se tem uma coisa que eu me arrependo até hoje é de não ter criado esse blog antes.

Deixe Seu Comentário Sobre o Post... (:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s