Web Blog: Diário de Uma Adolescente – Parte 10 (último capitulo)

Capitulo 9

Sexta-feira 7:00 p.m

            Já estava na escola me preparando para a apresentação eu seria uma das ultimas a subir no palco. Eu ia cantar Forget about it – All Time Low. Eu estava nervosa, nunca tinha me apresentado publicamente. Isso ia ser um grande desafio pra mim, mais como eu adoro um desafio. Resolvi encarar essa. O Guilherme? Ele já tinha chegado, e estava lindo de smoking. Ele seria o próximo a subir no palco. E como eu queria assistir a apresentação dele, fiquei escondidinha do lado do palco. Para poder observa-lo de perto.

– Agora com vocês o aluno mais popular do colégio o aluno Guilherme Cantuso. – todos aplaudiram e ele entrou.

            Ele sentou num banquinho pegou o violão e começou a dedilhar alguma coisa. Ele olhava para a plateia como se estivesse procurando alguém, provavelmente a Catarina. Ele olhou novamente para o violão e começou a cantar.

“Deus é que me livre ficar sem você, fica do meu lado que não falta amor. Sem o seu carinho eu vou enlouquecer. Vem, chega mais perto me dá o seu calor. Deus sabe que nada eu vou poder fazer se um dia eu perco todo esse amor. Vem ficar comigo quando escurecer. Eu quero estar contigo seja onde for…”

Na introdução da musica ele olhou pra o lado do palco e me viu ali, ele sorriu pra mim e eu sorri de volta. Quando ele voltou a cantar, cantou olhando pra mim.

 “Eu sei que o seu mundo girou só pra me encontrar, parece ter feito no vento um lugar pra amar. Então o tempo passa, talvez fique sem graça ou nunca mais eu faço esse sorriso pra você. Mas só que ela passa e todo mundo vê que o meu plano já deu certo. Só de tentar te dizer: Deus é que me livre ficar sem você. Fica do meu lado que não falta amor. Sem o seu carinho eu vou enlouquecer. Vem, chega mais perto me dá o seu calor […]. Eu sei que o meu mundo girou só pra te encontrar. Parece que achei no seu peito um lugar pra morar. Tirei o seu sossego. Abri os teus segredos. E vi nos seus defeitos um caminho pra entender. Que vida logo passa e quando a gente vê. Já é tarde pra dizer o quanto eu gosto de você. Deus é que me livre ficar sem você. Fica do meu lado que não falta amor. Sem o seu carinho eu vou enlouquecer […]. Deus sabe que nada eu vou poder fazer. Se um dia eu perco todo esse amor. Vem ficar comigo quando escurecer, eu quero estar contigo seja onde for…”.

            Quando ele acabou de cantar todos aplaudiram de pé. Ele agradeceu todos e virou pra mim e sussurrou um “eu te amo”. Nem preciso disser que eu quase tive um infarto. Eu e todo mundo que estava ali inclusive a Catarina, percebemos que ele cantou aquela musica pra mim. Voltei para a coxia para terminar de me preparar para me apresentar.

– E agora com vocês a aluna Gabriela Duarte Munhoz.

            Subi no palco peguei minha guitarra e comecei a tocar:

 You are a handful of roses, thorns in a cheap bouquet. It’s true, I’m a walking disaster, they told you to stay away. It seems like I’m making a deal with the devil, who’s whispering softly to me. Are you sure that she’s the one? ‘Cause I feel, like a bad joke. Walk the tightrope to hold onto you. Was it real? Or a love scene, from a bad dream? I don’t think I can forget about it. You are a shining example, of why I don’t sleep at all. Too many sheep on the brain, to make sense of a late night call. Talking in circles and chasing the tail, of a love drunk distant memory. Am I sure that she’s the one? ‘Cause I feel, like a bad joke. Walk the tightrope to hold onto you. (Gotta know), was it real? Or a love scene, from a bad dream? I don’t think I can forget about it. Gotta know, was it real? You know, there are some days when I really feel like this could work, like, you and I are finally gonna get it right. Then there are days like today, when you make me wanna o tear my fucking hair out. ‘Cause I feel, like a bad joke walk the tightrope to hold onto you (Gotta know), was it real? Or a love scene from a bad dream I don’t think I can forget about it. I feel like just like a bad joke! Gotta know, was it real? Waking up from a bad dream. From a bad dream, I don’t think I can forget about it. So just forget about it, So just forget.”

(“Você é um punhado de rosas, espinhos em um buquê barato. É verdade, eu sou um desastre ambulante. Eles te disseram para ficar longe. Parece que eu estou fazendo um pacto com o diabo, que está sussurrando suavemente para mim. Você tem certeza que ela é a única? Porque eu me sinto, como uma brincadeira de mau gosto. Andar na corda bamba para prender você. Foi real? Ou uma cena de amor de um sonho ruim? Eu não acho que eu posso esquecer. Você é um exemplo brilhante do porque de eu não dormir. Muitas ovelhas no cérebro, para dar sentido a uma ligação tarde da noite. Falando em círculos e perseguindo a cauda, ​​de um amor bêbado de uma memória distante. Eu tenho certeza de que ela é a única? Porque eu me sinto, como uma brincadeira de mau gosto. Andar na corda bamba para prender você. (Tenho que saber), foi real? Ou uma cena de amor, de um sonho ruim? Eu não acho que não consigo esquecer isso. Tenho que saber, era real? Sabe, existem alguns dias que eu realmente acho que isso pode funcionar, tipo, eu e você vamos finalmente fazer isso dar certo. E então, tem dias como hoje, quando você me faz querer arrancar a merda do meu cabelo fora. Porque eu sinto, como uma brincadeira de mau gosto andar na corda bamba para prender você (tenho que saber), foi real? Ou uma cena de amor de um sonho ruim eu não acho que eu posso esquecer. Eu sinto apenas como uma brincadeira de mau gosto! Tenho que saber, era real? Acordando de um sonho ruim. De um sonho ruim. Eu não acho que posso esquecê-lo. Então, simplesmente esquecê-la, só esquecer.”)

            Cantei tentando procurar o Guilherme na plateia, mais não o vi em lugar nenhum. As pessoas me aplaudiram e eu sai do palco. Quando eu estou descendo pra ir falar com os meus pais, trombei com alguém,  sim era ele.

– Desculpa. – falei

– Foi nada. – o silencio reinou por um tempo até que ele completou – Você canta muito bem.

– Você ouviu? – falei surpresa e ele assentiu com a cabeça – Você também canta muito bem.

– Quando se canta com o coração tudo fica bonito.

– Você tem razão. – falei sem graça.

– Bom, já vou indo Gabi. – ele disse saindo.

– Guilherme, espera – eu disse e ele olhou pra trás. Eu subi no lance de escada que ele estava e dei um abraço nele, ele retribuiu e eu disse. – Foi bom te conhecer. Boa sorte daqui pra frente.

– Boa sorte pra você também Gabi. – ele disse e foi embora.

            Terminei de descer as escadas e abracei meus pais. Pela primeira vez em anos meu pai me abraçou e foi ver alguma apresentação minha na escola.

– Parabéns minha filha, estou muito orgulhoso de você – ele disse me abraçando – Te amo muito.

– Também te amo muito pai. – disse chorando. Ele me soltou e minha mãe me abraçou.

– Ai, filha você estava linda – ela disse chorando feito criança – Eu vi viu, aquele menino cantou a musica pra você – ela sussurrou no meu ouvido.

– Mãe! – falei reprendendo ela – Nada a ver isso.

– Ta bom Gabi, foi fingir que acredito – ela disse rindo.

            Nos entramos no carro e fomos para casa.

 […]

Sábado 8:00 a.m

            Primeiro dia formada. Passei a noite pensando no Guilherme, na musica que ele cantou pra mim, no “eu te amo” no final,  do abraço apertado e no cheiro dele que ficou no meu nariz o dia inteiro. E percebi que eu tinha que parar de ser medrosa e arriscar. Afinal, se não der certo pelo menos eu tentei. Levantei da cama, fiz minha higiene, me vesti e sai correndo.

– Aonde você vai com tanta pressa Gabi? – minha mãe perguntou da cozinha.

– Vou atrás de ser feliz mãe. – respondi gritando.

– Boa sorte então filha, qualquer coisa me liga.

– Pode deixar. – disse saindo de casa.

            Corri, o mais rápido que eu pude em direção ao orfanato. Era ali que o Guilherme passava as manhãs no fim de semana. Quando cheguei avistei o diretor do orfanato.

– Senhor Figueiredo, o Guilherme está? – perguntei ofegante.

– Não querida, ele não chegou ainda. Mais se você quiser pode esperar ele lá dentro.

– Ok. Obrigada

            Entrei e fiquei brincando com umas crianças por enquanto que ele não chegava. Ele estava demorando muito será que ele não vai vim hoje? Resolvi ir procura-lo pelo orfanato. Procurei, procurei e não encontrei nada. Quando eu estava quase desistindo ouvi uma voz familiar.

– Está procurando alguém? – olhei para a trás e sim, era ele.

– Aham. – respondi me aproximando

– Posso saber quem é? – disse se aproximando também.

– Pode sim – disse me aproximando mais. Nesse momento nossos corpos já estavam colados e nossas respirações quase misturadas – Estava procurando você.

– E o que você quer? – ele perguntou colocando as mãos em minha cintura.

– Isso – respondi beijando-o logo em seguida. E que beijo foi esse? Tinha gosto de saudade, amor, carinho, necessidade tudo misturado. Ah, como esperei por esse momento.

            Quando a gente se soltou nós rimos e eu cantarolei:

Deus é que me livre ficar sem você, fica do meu lado que não falta amor. Sem o seu carinho eu vou enlouquecer. Vem, chega mais perto me dá o seu calor. Deus sabe que nada eu vou poder fazer se um dia eu perco todo esse amor. Vem ficar comigo quando escurecer. Eu quero estar contigo seja onde for…

– Eu sei que o seu mundo girou só pra me encontrar, parece ter feito no vento um lugar pra amar. Então o tempo passa, talvez fique sem graça ou nunca mais eu faço esse sorriso pra você. Mas só que ela passa e todo mundo vê que o meu plano já deu certo. – ele completou.

– Ah, quer disser então que tudo isso foi um plano? – perguntei fingindo estar brava.

– Logico. E você caiu direitinho, agora vai ser minha pra vida inteira. – ele disse rindo e me beijando logo em seguida.

– Hum. Acho que consigo te aturar pro resto da minha vida. – disse rindo.

– É bom você me aturar mesmo, porque você não vai se ver livre de mim tão cedo.

– Te amo sabia? – disse me aconchegando no seu peito.

– Eu também te amo Gabi, muito. – ele disse beijando minha cabeça.

            “Seria tudo lindo se eu dissesse que nós fomos felizes para sempre né? Mais não foi isso que aconteceu. Depois desse dia a gente começou a namorar, e tivemos que enfrentar muitas barreiras pra conseguirmos ficar juntos. Anos depois, nós nos casamos e tivemos dois filhos lindos a Sophie e o Artur. Não fomos felizes para sempre, afinal final feliz só tem em historias ridículas e fantasiosas. Nós fomos felizes sim, na maior parte do tempo que estávamos um com o outro, mas tudo isso graças ao amor que nós sentíamos, um amor que foi capaz de enfrentar barreiras e resistir ao tempo.”

 

FIM…

————————————————————————————————————————————————————————————–

Anúncios
Publicado em Web Blog por Liz Santos. Marque Link Permanente.

Sobre Liz Santos

Liz Santos, 16 anos, libriana, nascida em campinas –sp . Apaixonada por laços, caveiras, fotografias, livros, moda, skate, livros, chocolates, balas e cupcake. Um projeto de escritora, amo escrever – mesmo que as vezes só saiam besteiras -, futura jornalista e com uma mania super incontrolável de hipérboles. ADORO desenhos animados - em especial Os Simpsons e Bob Esponja -. Louca pela Avril Lavigne e os meninos do ATL *u*. Meu livro preferido desde o mês passado é A Ultima Música. Ficar horas na internet é meu hobby - seguido logo depois de dormir e comer -. Gosto de músicas dançantes e coisas que me façam rir. Valorizo cada pequeno detalhe da vida. Adoro pandas - meu sonho é encontrar um panda anão pra trazer pra casa*u* - e series como Two and a Half Man e Gossip Girl. Criei o Sonhos de Uma Manhã, no dia 5 de setembro de 2012, como uma distração pra ocupar minhas horas vagas e para poder dividir minhas histórias, dicas e meu amor por moda e escrever . Eu sempre tive vontade de ter um blog, e de um tempo pra cá essa vontade aumentou, mas eu tinha medo de não dar certo e blábláblá. Ai, tomei vergonha na cara e criei coragem pra por esse sonho em prática. Adoro postar todos os dias aqui e tenho minhas leitoras como amigas, que me fazem um bem danado quando eu entro aqui todos os dias e vejo quanta gente, de tantos lugares diferentes até mesmo do mundo lêem diariamente o que eu escrevo. E sinceramente? Isso é muito gratificante. E se tem uma coisa que eu me arrependo até hoje é de não ter criado esse blog antes.

Deixe Seu Comentário Sobre o Post... (:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s