Dicionário da Moda

Muitas pessoas gostam de moda, porém não sabem o significado de alguns termos desse mundo fabuloso. Por isso resolvi criar esse mini dicionário, com algumas palavras-chave:

Activewear- essa expressão inglesa foi criada para se referir às roupas do tipo esportivas. Mas atualmente o termo sportswear é mais usado para identificar esses produtos para esportes.

Alta-costura- roupas sofisticadas e exclusivas, criadas por estilistas famosos.

Alfaitaria-  oficina onde são produzidas peças com cortes masculinos, como paletós, calças, camisas e coletes sob medida.

Ankle Boot- bota que de cano curto (ankle, em inglês, quer dizer tornozelo).

Anna Wintour- poderosa editora de moda da revista Vogue (americana). Inspirou o livro O Diabo Veste Prada, que virou filme.

Anágua- peça de baixo feita de tecido leve e usada como se fosse uma segunda pele. Pode ser feita de linho, algodão ou musselina. A princípio, ia até a altura dos quadris e os homens a colocavam por baixo da camisa. Só na Idade Média virou uma roupa feminina, parecendo um colete. Mas, depois de ser substituída pela camisa íntima, foi alongada e se transformou em saia de baixo. Por volta do ano de 1860, entrou na moda na cor vermelha em apoio à revolução dos camisas vermelhas, de Garibaldi. Já no século 20, ficavam escondidas, apenas para disfarçar transparências. Yves Saint Laurent, em 1970, tentou renascer a peça, colocando-a aparente por baixo de saias jeans, ao estilo camponesa.

Armani- os ternos (masculinos e femininos) amplos e desestruturados desse estilista tornaram-se sonho de consumo nos anos 80. Ainda hoje, ele veste famosos do mundo inteiro.

Balonê- saia que foi muito usada nos anos 80e, há pouco tempo, voltou á moda. Como diz seu nome, parece um balão, devido á barra.

Backstage- significa bastidor, em inglês. No mundo da moda é a área dos camarins, onde os modelos são preparados para entrar na passarela.

Bandagem- semelhante a ataduras, esse tecido de algodão é leve, vazado, de aspecto rústico e creponado.

Basque- tipo de saiote rodado, franzido ou pregueado. A origem da palavra é francesa e significa parte de uma peça de roupa que cobre os quadris a partir da cintura.

Blusê-  efeito de costura que se pode criar numa blusa ou num vestido. A parte de cima da peça é mais larga, terminando mais justa e ligeiramente franzida na cintura.

Boca-de-sino- tipo de calça, muito usada nos anos 60 e 70, que fica mais larga a partir do joelho.

Bolero-  casaquinho curto, originário da Espanha.

Brocado- Jacquard trabalhado em fios de ouro ou prata. Surgiu do francês broucart (ornamentar).

Cacharrel- blusa que se ajusta ao corpo, com gola alta. Pode ter mangas curtas ou longas.

Cache-coeur- decote cruzado, também conhecido como envelope, usado em blusas com ou sem manga e em vestidos. É ótimo para algongar a silhueta e disfarçar seios grandes.

Capri–  modelo de calça cujo comprimento vai até a metade do tornozelo. Recebeu esse nome devido á ilha de Capri, onde as garotas atenienses desfilavam o modelito na década de 50.

Calvin Klein- estilista americano que define seus criações como “sportswear minimalista”. Ficou famoso por suas campanhas polêmicas, que misturavam jeans e roupas intimas.

Cardigã-  casaco tricotado, sem gola com decote redondo ou em V e mangas compridas, que se abotoa até o pescoço ou aberto na frente.

Cloche- modelo de chapéu que tem a forma de um sino. O acessório foi destaque nos anos 1920.

Cashmere- tecido de lã bem fina, obtida a partir do pelo de cabras da região de Caxemira, que fica entre a Índia e o Paquistão.

Chanel-  estilista francesa que revolucionou o armário feminino no inicio do século XX. Peças como tailleur de tweed e a bolsa de couro matelessado, com alças de correntes, são símbolos de elegância até hoje.

Chemisier – peça do guarda-roupa feminino com o corte estilo camisa. Usada como vestido.

Coturno- tipo de calçado pesado, inspirado em botas militares de policiais. Os punks do final da década de 70 usavam esse tipo de bota.

Cordonê- são cordões torcidos, geralmente feitos de fios de algodão ou de seda, utilizados para enfeitar, fechar ou dar acabamento a roupas e também acessórios.

Croqui- desenho de uma roupa ou acessório feito à mão.

Cru- nome dado aos tecidos, geralmente de algodão, que têm um aspecto rústico.

Debrum- Tipo de arremate e enfeite criado pela aplicação de fitas, galões ou tiras nas bordas de qualquer tecido.

Decote canoa- lembra a forma de uma canoa. Decote raso, que vai de um ombro ao outro, e tem a mesma profundidade na frente e nas costas.

Devorê- produzido com fios celulósicos e de fibras sintéticas.

Docksides- é o nome de origem inglesa dado aos sapatos de couro de solado de borracha, com costura aparente que acompanha todo o bico. Esse calçado tem origem náutica e também é chamado de boat shoe (sapato de barco).

Duffle-coat- casaco de lã de comprimento até os quadris ou joelhos, com capuz e botões de madeira no formato oval e com pontas. Usados por viajantes do século 13 e depois adaptados por pescadores no século 15 para proteção contra chuva, tornaram-se populares na moda tanto para homens como para mulheres. YSL surpreendeu a todos ao vestir um por cima do smoking.

Dupla-face- tipo de peça que pode ser usada tanto pelo lado direito como pelo avesso.

Echarpe- tipo de lenço longo, em forma de faixa, para ser usado em volta do pescoço. Pode ser de algodão , lã ou seda.

Evasê- tipo de corte de saia ajustado na cintura, e “rodado” na parte inferior.

Escarpim- sapato clássico, que tem o salto fino e bico estreito. A altura do salto muda de umas estação para outra, mais ele nunca sai de moda.

Espinha-de-peixe- padronagem cujo aspecto lembra o esqueleto de peixe, também conhecida por chevron. Confeccionada de lã, seda e algodão, vai bem com casacos, ternos e saias.

Estola- peça retangular que cobre os ombros e parte das costas, muito utilizada no Brasil na década de 1960 pela alta burguesia. Pode ser feita de peles de animais e tricô ou tecidos finos como crepe, seda e musselina.

Façonné-  nomenclatura francesa do tecido jacquard.

Fashionista- pessoa extremamente ligada em moda, que procura seguir todos os lançamentos das passarelas nacionais e internacionais.

Folk- traje inspirado em roupas típicas de uma determinada região (como as áreas indígenas africanas ou norte-americanas).

Franja-  fios ou tiras com materiais como couro, camurça, linho e algodão que são muito aplicados em peças de roupas, sapatos e acessórios. Também podem pender do próprio tecido quando for desfiado ou repicado. Dependendo do material, com que é feito e do tipo, podem remeter ao estilo caubói ou à sensualidade das roupas das melindrosas dos anos 1920.

Froissé-  palavra francesa que define o aspecto de amassado de alguns tecidos.

Fuseau (fusô)-  calça justa e afunilada, feita de malha ou lã, misturada com tecidos como elastano, helanca e lycra para ficar colado à perna. Antigamente, elas eram feitas com uma tira elástica que se prendia ao pé. Assim como o legging, acompanha túnicas e batas.

Galocha- calçado de borracha, que era usado apenas em dias de chuva ou “para lavar quintal”. Atualmente ganhou várias estampas, e também as ruas.

Gianni Versace- esse estilista tinha um estilo inconfundível. Suas criações eram extravagantes, com estampas rebuscadas e bastante sensuais. Morreu assassinado em 1997, e sua irmã, Donatella, assumiu a marca.

Grunge- estilo “sujo” usado por bandas de garagem de Seattle, nos anos 90, como Pearl Jam e Nirvana. Até hoje a camisa de flanela xadrez, símbolo do grunge, é vista pelas ruas.

Habillé-  esse termo francês designa o estilo de traje a rigor, com vestidos de luxo, usado em noites de gala.

Hype- palavra inglesa usada para algo que esteja fazendo muito sucesso. O termo “hypado” é uma variação brasileira, também usado como adjetivo de algo que esteja na moda.

Hi-lo– abreviação das palavras em inglês high (alto) e low (baixo). O termo faz referência à mistura de peças caras a roupas e acessórios baratos, o que deixa o look moderno.

Indie- visual alternativo. O termo era usado, originalmente, para denominar o estilo de pequena bandas independentes, nos anos 80 e 90. 

Insígnia- conhecida também como comenda, condecoração ou emblema, ela é usada em uniformes ou roupas de gala oficiais. A insígnia nas coleções fashion vem na roupa em forma de bordados, aplicações e broches, geralmente em peças com estilo militar.

Jean Paul Gaultier- o estilista ganhou fama por seus casacos bem cortados, e pelo equilíbrio entre o excêntrico e o clássico. Apesar de seus desfiles serem grandes shows, suas roupas foram bastante “usáveis”.

Jabô-  ornamento de renda ou outro tecido atado à base da gola de uma blusa ou camisa e que cai sobre o peito. Os homens usaram o adereço durante o reinado do francês Luís XV, no século 18.

Jardineira- modelo de roupa (pode ser calça, short ou saia) que se prolonga até o peito, e que possui alças no estilo de suspensórios.

Japona- tipo jaquetão feito de lã ou feltro que vai até a altura dos quadris. É uma peça inspirada num casaco chamado caban, usado por marinheiros franceses e pescadores no século 19. Chanel, no início do século 20, adotou a japona em suas coleções, depois seguida por Yves Saint Laurent.

Lamê- tipo de tecido brilhante, fabricado a partir da seda ou de fios sintéticos.

Legging- calça de tecido elástico, justinha, que vai até o tornozelo.

Libré é um tipo de capa sem mangas, com aberturas nas cavas, por onde passam os braços. Na frente, é presa apenas no colarinho, deixando aparecer a roupa de baixo na parte do peito. Geralmente, os membros de confrarias usam na participação de alguma função religiosa solene, e pelas pessoas de algumas cortes ao realizarem suas funções. As cores e o modelo da libré variam conforme os usos e costumes de cada corte.

Lurex- tecido com bastante brilho, feito com fios metalizados.

Louis Vuitton- originalmente, uma marca de malas de viagem. Lançou sua ilha de roupas apenas em 1998. O monograma LV é um dos mais conhecidos mundo afora.

Macramê- técnica de entrelaçamento de fios naturais, barbantes ou cordas que permite formar vários desenhos, muito usada na confecção de passamanaria, coletes e acessórios, como bolsas e cintos. As bolsas de macramê foram sucesso na moda hippie dos anos 1970 e também em 1980.

Manga bufante- com volume, essa manga é franzida na altura da cava, do punho ou dos dois. Na moda desde o século 15, ainda hoje aparece em vestidos, batas e blusas.

Marc Jacobs- estilista americano possui uma marca, com estilo clássico-retrô.

Minissaia- a saia bem curta começou a ser usada na década de 60, e e um ícone da moda feminina até hoje.

Maxibolsa- bolsa grande, ideal para carregar de tudo.

Mocassim- sapato fechado, sem abotoamento e de bico quadrado, inspirado em modelos indianos.

Mule- calçado de salto e aberto na parte de trás. Pode ser confeccionados com diversos materiais.

Navy- estilo inspirado nos uniformes da marinha e no universo náutico. São peças listradas em azul marinho e branco ou vermelho, e podem ter aplicações como âncoras, cordas e botões dourados.

Negligê- essa peça de roupa feminina, de tecido leve e algumas vezes transparente, passou a ser usada pelas mulheres, no século 19, enquanto ficavam em casa sem o espartilho, saíam do banho ou da cama. A roupa também faz parte do fetiche masculino.

New look- criado por Christian Dior em 1947, é composto por tailleurs, blusas estruturadas e saias amplas, bem marcadas na cintura.

Off-white- cor entre o branco puro e o gelo, espécie de “branco-sujo”.

Oxford- tipo de sapato, originalmente masculino, de couro e com cadarço. Atualmente foram reinterpretados, e suas versões femininas estão super na moda.

Oxford (calça)- as calças estilo oxford eram usadas pelos estudantes da Universidade de Oxford, Inglaterra, na década de 1920. Semelhantes às pantalonas dos anos 1970, a boca de barra dobrada podia medir 50 cm.

Parka- tipo de casaco com capuz, largo, feito de tecido impermeável. Seu comprimento vai até a metade da coxa.

Peitilho- peça fixa ou removível do vestuário que se apresenta sobre o busto. Pode ser de tecido diferente do restante do modelo. Os mais sofisticados apresentam bordados ou pedrarias.

Pin-up- fotografias e pinturas de mulheres em poses sensuais, que surgiram a partir de 1940. As imagens trazem um erotismo leve que torna as modelos atraentes. As top models costumam desfilar nas passarelas com olhares e bocas no estilo pin-up para também passar a sensualidade das roupas.

Plataforma- tipo de salto com base alta e grossa.

Plissado- dobras permanentes em tecido, conseguidas com o auxílio de uma máquina.

Plush- malha de algodão com acabamento de felpas aveludadas. Usado em suéteres, calças e shorts. É bastante confortável.

Poás- padronagem de bolinhas, dispostas de modo uniforme em tecidos como algodão, linho, seda e vinil.

Polainas- peça que cobre a parte inferior da perna e a parte superior do pé, pode ser confeccionada de couro, lã ou tecido e servia, nos séculos 18 e 19, para proteger calçados ou aquecer no frio. No século 20, foram muito usadas como assessórios para roupas de ginástica para manter as pernas de atletas e dançarinos aquecidas.Já nos anos 1980, foram febre na moda das roupas dos jovens que enchiam as pistas discotecas e boates da época.

Prada- marca fundada em 1913 por Mario Prada, e revitalizada por sua neta, Miuccia Prada, nos anos 70. A bolsa lançada por Miuccia elevou a marca a um novo patamar, e a tornou uma grande  influenciadora da moda.

Prêt-à-porter- expressão francesa que significa “prono pra vestir”, e que se difundiu nos anos 60, quando os estilistas de alta-custura lançaram coleções que não eram feitas sob medida e podiam ser encontradas prontas nas lojas.

Retrô- estilo antigo que voltou à moda. Vem do termo francês “rétro”, que significa “antiquado”.

Risca-de-giz- tecido com riscas finas.

Rocker- forma de se vestir ligada aos amantes do rock e caracterizada pelo uso de camisetas, roupas de cores escuras, peças de couro e acessórios metalizados. O estilo tem ares de modernidade e transgressão.

Saia Godê- peça de cintura marcada e caimento volumoso. Virou moda quando o estilista Christian Dior criou o New Look, em 1947, com uma saia nesse corte.

Saia lápis- tem formato cilíndrico, ajustado ao corpo. Ela vai da cintura até a altura do joelho, ou um pouco abaixo.

Saia Tulipa- também chamada de saia-bolha, sua criação é atribuída ao estilista Pierre Cardin, no final da década de 1950. Ela é mais estreita na barra e ligeiramente fofa logo abaixo do cós, graças às pregas.

Sarouel- tipo de calça de origem africana, larga e com o cavalo amplo.

Skinny- modelagem de calça superjusta, que pode ser elástica e possui formato afunilado na canela.

Spencer- casaco curto com mangas longas e comprimento até a cintura. Pode ter ombreiras ou não. Quando surgiu, era usado por homens. Só no fim do século 18 as mulheres incorporaram a peça.

Sportswear sinônimo de roupas descontraídas e para o dia a dia, a palavra também representa o conjunto de várias categorias de roupas esportivas.

Suéter- malha de lã tricotada, com decote V e mangas longas. Também pode ser chamado de trico.

Tailleur- conjunto feminino de casaco e saia ou calça. Chanel fez do tailleur um clássico do guarda-roupa feminino.

Tie-dye- estampa formada pelo tingimento de partes do tecido que são amarradas e mergulhadas em tinta, criando um efeito irregular.

Tons Pastel- claros e suaves, eles são baseados nas cores dos lápis de mesmo nome, usados para pintura em telas. Por serem misturados com água ou tinta branca, os tons têm aparência lavada. Roupas nessa tonalidade vão bem no calor por transmitirem frescor e leveza.

Trapézio- vestido criado por Yves Saint Laurent em 1958. As linhas da gola e da barra formam um quadrilátero com dois lados paralelos, como a figura geométrica. Amplo e rodado, o modelo pode ser curto ou na altura dos joelhos.

Trench-coat– capa ou casaco que tem uma faixa na cintura. Inicialmente feito com tecido impermeável, hoje em dia pode ser encontrado em diversos materiais.

Tule- originariamente feito de gaze ou seda, o tule é um tecido fino de malha hexagonal, utilizado em adornos de vestidos, chapelaria, roupas de bailarinas e vestidos de noiva.

Tweed- acredita-se que a palavra tweed seja uma leitura errônea de tweel, que em escocês significa sarja. O tweed possui uma textura áspera, por ser feito de lã. Muito usado em casacos e ternos.

Twiggy- modelo que foi ícone dos anos 60. Ela representava a imagem moderna da época, cobiçada por inúmeras jovens.

Underground- ideologia que foge aos padrões da sociedade, esse estilo, que como diz o nome em inglês se refere ao que está abaixo, obscuro, não iluminado, inspirou alguns estilistas na década de 1980. Os tons escuros são uma característica do movimento e os tecidos são de jérsei, malha e denim com silks reluzentes e estampas. Cintos e bolsas coloridas complementam o visual.

Unissex- estilo de roupa que poder ser usada tanto por homens como por mulheres,

Valentino- estilista famoso por seus vestidos de noite, de estilo hollywoodiano e extremamente feminino. Consagrou a cor vermelho vivo, que ficou conhecida como “vermelho valentino”. 

Vestido Bandagemcriado pelo estilista francês Hervé Léger em 1989, o modelo se caracteriza pela junção de várias faixas elásticas que marcam as formas do corpo. É feito com tecidos como viscose e poliamida, ambos com elastano na composição.

Vestido longuete- vestido com comprimento um pouco abaixo dos joelhos.

Vestido-casacoadotado pelas mulheres depois de 1775, o modelo é longo e acinturado e com recortes verticais e saia evasê até os joelhos, numa versão do redingote, que era o casaco de montaria usado pelos homens europeus. Feito de lã, gabardine ou couros. As golas são grandes e os bolsos embutidos.

Vintage- termo para peças autênticas de décadas passadas. Brechós e lojas de roupas usadas são garimpos de peças vintage, sinônimo de luxo e exclusividade. 

Wet look- expressão inglesa que define o visual tipo molhado do cabelo, feito com gel, muito em moda nos anos 1980. Com relação a tecidos, em 1984, esse termo se referia ao encerado brilhante do tecido de viscoelastano.

Xantungue- ou shantung. Tecido fino, de seda, que pode ser mesclado com algodão ou fios sintéticos, usado em roupas finas.

Yuppie- nome que os americanos usam para designar jovens profissionais de sucesso que consomem roupas de grife e frequentam lugares fashion. O auge dos ternos com ombreiras, suspensórios e gravatas da mesma cor, características dessa moda, foi nos anos 1980. Já as mulheres vestiam casaco power – com as famosas ombreiras –, saia curta e estreita com grandes fendas e uma blusa finíssima. À noite, as yuppies eram glamourosas, cheias de brilho, saias balão, mangas volumosas e cores fortes. Christian Lacroix na época era o estilista mais desejado.

Zibelina- tecido com aspecto de lã e acetinado, que é obtido através de lustro, alisamento e frisagem. É muito usado nos vestidos de noiva e na alta-costura em geral.

Fonte: Revista Atrevida, edição 180 – 2009.

Dicionario de Moda, editora Abril.

Anúncios

Uma resposta em “Dicionário da Moda

  1. Qual quer duvida sobre algum termo que não está presente nesse mini dicionario, deixem um comentário que eu vou procurar me informar e esclarecer sua duvida! Beijin, ((:

Os comentários estão desativados.